AMADOR

by Mário Falcão

supported by
/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    Purchasable with gift card

      $10 USD  or more

     

1.
Amador 04:37
AMADOR Acho que deu pra perceber o nosso amor é ouro Apanha sol e quer lua de mel Acho que deu pra perceber o nosso amor dilata O som no ar, a ideia no papel A poesia chega sem complicação Deixa um sorriso de felicidade em mim Entorna em torno, suas águas lavam almas Salve a natureza Concede a dança do amor A quem apenas é um amador Acho que deu pra perceber o nosso amor é ouro, é prata Apanha sol e quer lua de mel Acho que deu pra perceber o nosso amor descobre, dilata O som no ar, a ideia no papel A poesia chega sem complicação Deixa um sorriso de felicidade em mim Entorna em torno, suas águas lavam almas Salve a natureza Concede a dança do amor A quem apenas é um amador
2.
Sem título 03:59
SEM TÍTULO Sem trabalho, sem fé Sem alimentação Sem valor Sem opinião Sem sair do lugar Sem pai nem mãe, sem par Sem camisa Sem permissão Sem sorrir nem chorar Sem ter nada pra dar Sem amor, sem perdão Sem nenhuma ilusão Sem notar, sem saber Sem sabor, sem noção Sem maldade, sem lei Sem consideração Sem vergonha, sem cor Sem teto, sem razão Sem cabeça nem pé Nem chão Sem sentido nenhum Sem ler a instrução Sem papel Sem numeração
3.
DANÇA DOS LAÇOS DE FITA O teu olhar Merecia uma peça erudita Quando falo ninguém acredita Calmaria do mar que me agita Não complica, mas não facilita O teu olhar É uma flecha do Bhagavad Gita Tem a dança dos laços de fita Tem a dança dos laços de fita Fitar, ficar, fitar, ficar, fitar, ficar a fitá-la Dançar, trançar, dançar, trançar, dançar, trançar as amarras Dançar, trançar, dançar, trançar, dançar, trançar os amores Miscigenar, passar, voltar, unir em nós novas cores O teu olhar Descoberta de ouro, pepita Desentoca qualquer eremita Luz do fogo do sol na bolita Cimitarra na mão de um xiita O teu olhar Arrepia a lembrança que fica Tem a dança dos laços de fita Tem a dança dos laços de fita Fitar, ficar, fitar, ficar, fitar, ficar a fitá-la Dançar, trançar, dançar, trançar, dançar, trançar as amarras Dançar, trançar, dançar, trançar, dançar, trançar os amores Miscigenar, passar, voltar, unir em nós novas cores Novas cores
4.
Junho 06:29
JUNHO Espero que tu escrevas um livro Reportando tardes vivas de junho Que observe ser humano Com quem dorme no passeio Com a garrafa e o velho cobertor Que absolva o som do solo Do motorista frenando Nessa rua mora a bola que atravessa atrás do anjo Folhas secas flanam, fogem de quem quer varrer Folhas plenas de palavras Quem vai querer ler? Desenhando paraísos Absorvendo absurdos Definindo a cena que não se vê Reparando alegrias Desfazendo preconceitos Traduzindo a vida que não se lê Acolhendo a precisão do trabalho De quem classifica o que vem no lixo, Do pintor da flor que passa na madeira da carroça Do malabarista ao tempo do sinal De quem acha novidades vasculhando velharias Nos cafés e livrarias, nos sobrados que sobraram Deixa algumas linhas tortas pra deus se ocupar, Deixa página vazia Se acaso acertar Desenhando paraísos Absorvendo absurdos Definindo a cena que não se vê Reparando alegrias Desfazendo preconceitos Traduzindo a vida que não se lê Meia volta, volta e meia Volta ao mundo, minha aldeia Como é bom ficar com meu amor O carinho quer espaço Sem ter pressa nem cansaço Como é bom ficar com meu amor Espero que tu escrevas um livro Reportando tardes vivas... Desenhando paraísos Absorvendo absurdos Definindo a cena que não se vê Reparando alegrias Desfazendo preconceitos Traduzindo a vida que não se lê
5.
Quem mandou 04:12
QUEM MANDOU Quem mandou trazer pra cá Essa gente que gosta de reinventar a bola Quem mandou deixar aqui A viola, o pandeiro e um resto de luz de esperança Quem mandou abençoar A mistura, o molho que deus derramou O milagre de tantas vitórias No meio de tantas misérias Então, agora agüenta o tirão O milagre de tantas vitórias No meio de tantas misérias Agora agüenta firme, meu irmão O negócio é complicado Pra quem não quer entender Pra quem manja do gingado Isso não vem surpreender O senhor tá desconfiado, Que eu não ligo pra razão Replicando a batucada Que lembra do tempo da escravidão O feitor da madrugada Avermelha o céu azul Quilombola bola samba Rebola Rio Grande do Sul
6.
FIM E COMEÇO Quero viajar Pra matar saudade do que não conheço E do avesso De onde vou sair Pra sentir a falta desse endereço Fim e começo Gosto lá de fora Do interior Sei que não vigora Falsidade onde mora aquela flor? A cidade passa Com seu vai e vem Ela me atrai, mas eu preciso ir mais além Quero viajar Pra matar saudade do que não conheço E do avesso De onde vou sair Pra sentir a falta desse endereço Fim e começo Asas da miragem Em arribação?Aventando a vida Sendo a mesma, mesmo em outra direção A paisagem migra Leva meu olhar Ela me quer, mas não é hora de ficar Quero viajar Pra matar saudade do que não conheço E do avesso De onde vou sair Pra sentir a falta desse endereço Fim e começo
7.
Greve geral 05:50
GREVE GERAL Não pulo Não danço Não canto Meu grito não soa No espaço secreto entre nós Descanso de corpo fechado De braços cruzados Respiro e só falo o que vem Invento qualquer manifesto Que não prega nada do nada que sou por aqui Não digo que estou magoado contigo Comigo desligo Não pulo Não danço Não canto Palavras que queres E gestos iguais aos iguais Milito aflito por algo sincero Espero fazendo O desejo ensejar Invento qualquer circunstância Mas não participo de jeito nenhum disso aqui Não digo que estou magoado contigo Comigo desligo Em greve geral
8.
No shopping 05:43
NO SHOPPING Eu não vou deixar barato Deu trabalho pra fazer Também não vou pagar tão caro O que tens pra me vender Eu não vou fumar cigarro Álcool não vou mais beber Comer carne é prescindível Se não jogo é por prazer Decidi não ter um carro, Telefone, DVD Interessam outras ocas No shopping não vais mais me ver Vou parar pra meditar, Muito mais o que fazer Nunca mais pensar em drogas Vou deixar de ver tevê Mas não vou deixar por menos O que trago pra vender Lá em casa tenho outras bocas pra comer Também não vou deixar tão caro Deu barato pra fazer Interessam outras tocas No shopping não vais mais me ver Não vou deixar tão caro Deu barato pra fazer Interessam outras trocas No shopping não vais mais me ver
9.
NOSSO ABRAÇO Nosso abraço é o universo Não há nada demais A não ser a essência Música e poesia Silêncio Energia Em flor aberta no peito E a chama chama chama sem fim Vida e alimento Prazer Plexo no plexo Nosso abraço é o universo Yin-yang Chuva-vento Corpo em terno movimento
10.
Vamos chegar 03:42
VAMOS CHEGAR Não fica longe, já se vê daqui a casa Aquela entre o arvoredo e a goiabeira Que leva um pouco de tijolo, mais madeira Embaixo dela tem raiz Em cima, asa Tem luz elétrica, água encanada Ondulando ao vento roupas no varal O aroma do fogão a lenha vem na estrada E, no telhado, um galo cuida do quintal Vamos chegar... Não fica longe já se vê daqui a praia Aquele azul mais forte embaixo do horizonte É tanta água e areia, monte atrás de monte A imensidão que embala o mundo ali ensaia No avarandado a cadeira é preguiçosa Se não tem rede, com caniço e samburá Chapéu de palha que se esquece na cabeça Enquanto estronda o tombo da onda do mar Onda do mar...

about

This is the second solo album of the singer-songwriter and guitarist Mário Falcão. His thought has received influences of several maestros of the Brazilian folk music and jazz, categories which embrace and, from time to time, hybridize. The song, embellished with this fine combination, goes out to meet and provoke senses and feelings.

Many professionals have made this a real project, particularly, Ricardo Arenhaldt (drums), Clóvis Boca Freire (bass), Luiz Mauro Filho (keyboard) and Zé Ramos (guitars and musical production).

We invite you to listen to it, easily, without haste, while we are looking forward you enjoy it.

credits

released June 14, 2011

Produced by José Luiz Ramos (Zé Ramos)

Mário Falcão - music, lyrics, voice and guitar (nylon)
Zé Ramos - electric and acoustic (steel) guitar
Luiz Mauro Filho - keyboard
Ricardo Arenhaldt - drums
Clóvis Boca Freire - contrabass
Fernando Sessé - percussion
Karlo Kulpa - violin
Ana Paula Lonardi - voice

Recorded october 2010 / Março 2011
at Som da Luz studio em Porto Alegre / RS / Brasil
Recorded by Bruno Klein e Dudu Yugueros
Mixed by Zé Ramos e Dudu Yugueros
Mastered by Marcos Abreu
Art & photos by Letícia Nunes
Manager: Márcio Gobatto / Odara Produções

Sponsorship: PETROBRAS / LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA / MINISTÉRIO DA CULTURA / BRASIL

license

tags

about

Mário Falcão Porto Alegre, Brazil

Cantor e compositor brasileiro. Tem álbuns próprios (o primeiro, de 2004; e "Amador", de 2011), "equilíbrio" (em construção), além de participações em projetos compartilhados com outros artistas, como os álbuns "José Martí em Canto" (2014) e "Muamba" (2016). ... more

contact / help

Contact Mário Falcão

Streaming and
Download help

Report this album or account

If you like Mário Falcão, you may also like: